Blog da Forlan DF

Saiba a importância de sempre manter o extintor do seu carro no prazo de validade

O extintor é um item do carro dos brasileiros de que, na maioria das vezes, só é lembrado na hora do aperto, mas que precisa sempre ficar em boas condições para não deixá-lo na mão. Para garantir seu bom funcionamento é necessário cuidar bem dele, do mesmo jeito, ou até com mais cuidado, do que dos outros acessórios do automóvel.

São vários detalhes a certificar sobre o extintor e se um deles estiver fora dos padrões exigidos para as ocasiões de risco, o custo pode ser enorme. Pensando nisso e em sua segurança, criamos este artigo para lhe mostrar as condições ideais para seu extintor sempre funcionar adequadamente, assim como outras dicas de uso. Confira:

Tipos de extintores

Há dois tipos de extintores em circulação no país: o antigo BC, que foi fabricado juntamente com os carros até o ano de 2004 e depois substituído pelo novo ABC, surgido no ano seguinte. A diferença entre os dois são várias.

O ABC é composto em 55% por monofostato de amônia e é capaz de apagar incêndios em materiais como estofamentos, plástico, espumas, madeira, bancos de couro e borracha. O ABC é descartável e não pode ser recarregado.

O BC é composto inteiramente de bicarbonato de sódio e consegue apagar apenas indícios de fogo no combustível e no sistema elétrico do carro. Possuiu permissão para recarga anual até o ano de 2014 e tem previsão para sair completamente de linha ao término de 2015.

Validade do extintor

Os veículos montados até o ano de 2004 têm o extintor BC, com validade de um ano. Já os carros feitos posteriormente têm o extintor ABC com até cinco anos de validade. Porém, é importante verificar as informações contidas no próprio extintor a cada seis meses para não esquecer dele e seu prazo de validade.

É importante lembrar também que, apesar de tentativas para torná-lo facultativo como acontece no restante do mundo, o extintor de incêndio é um item obrigatório no Brasil, e rodar com ele descarregado ou vencido é classificado como infração grave com multa de R$ 127,69 e cinco pontos na carteira de motorista.

Cuidados com o extintor

O primeiro cuidado é retirar o plástico do extintor antes de sua instalação. Apesar do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) não indicar nenhum agravo a respeito do plástico, ele determina que nada deve atrapalhar o manuseio do extintor e alguns agentes de trânsito classificam o plástico como um inibidor para seu uso e aplicam a multa.

Se esses agentes estão corretos ou não, na dúvida, retire o plástico e qualquer outra embalagem para, no mínimo, livrar-se da chance de ganhar uma multa por tão pouco. Verifique também, periodicamente, se a trava de segurança não está enferrujada e no lugar correto, assim como checar se está tudo certo com o indicador de pressão.

Como usar o extintor?

O primeiro passo para o uso correto é deixar o extintor no local certo, que é embaixo do banco do motorista ou, em segundo caso, debaixo do banco do carona da frente.

Em seguida é hora de aprender a manusear o extintor. Não é difícil. Primeiro você deve destravar e soltar o extintor, em seguida tirar o lacre e manter o bico direcionado na base do foco do incêndio, e não em cima dele, e pronto. A recomendação de especialistas do meio é usá-lo uma vez para ver como é, mesmo que signifique comprar outro depois. O gasto extra pode fazer a diferença.

Agora você conhece a importância de sempre manter o extintor no prazo de validade e uma série de coisas mais sobre este importante acessório para seu carro. Ainda tem dúvidas? Deixe um comentário!