Blog da Forlan DF

Carro Novo ou Usado? Descubra qual se adapta melhor às suas necessidades

Pela primeira vez, depois de muitos anos, a venda de automóveis no Brasil deu uma desacelerada. Os financiamentos para aquisição de veículos seguiram o mercado e caíram um também.

Apenas os consórcios não mostraram retração — ao contrário, apresentaram um aumento nas vendas nos primeiros meses de 2015. Como a procura está em baixa no mercado, os preços tendem a baixar. Se você possui dinheiro guardado e está pensando em comprar ou trocar de carro, pode ser um ótimo momento para fazer negócio.

Mas qual tipo de carro seria mais interessante para você: um novo ou um usado? Qual seria o ideal para o seu momento atual? Veja a análise de alguns tópicos e decida qual se adapta melhor às suas necessidades!

Quanto à confiabilidade

Sem dúvida, os carros novos são mais confiáveis do que os carros antigos. Comumente, as fábricas têm oferecido garantias de dois, de três e até de cinco anos para a troca de peças e os reparos de manutenção. Quando se compra um veículo usado, herdam-se os problemas que o ex-dono do carro tinha e, com certeza, o comprador terá mais gastos com consertos.

Quanto ao investimento inicial

Duas coisas que você deve levar em conta em relação ao dinheiro que investirá, para tomar a melhor decisão de compra, é que o custo de depreciação inicial será a grande despesa com o seu veículo novo. Enquanto um veículo usado exigirá de você mais dedicação e recursos para manutenção.

Inevitavelmente, o carro mais novo custa mais caro do que um modelo equivalente de anos anteriores. Após tirá-lo do pátio da concessionária ou da loja de automóveis, em até três anos, ele custará cerca da metade do valor que você desembolsou. Em compensação, os bancos oferecem financiamentos com taxas de juros baixas para os veículos novos, justamente porque não foram atingidos pela depreciação.

Quanto às normas de segurança

Vira e mexe, as legislações de segurança e de trânsito alteram as exigências do que um carro deve ter. Há poucos anos, o cinto de segurança de três pontas, por exemplo, passou a ser obrigatório e fez com que muitos veículos tivessem que ser adaptados.

Desde 2014, há novas regras para airbags e freios ABS, que devem vir de fábrica. Portanto, nos carros novos as demandas normativas recentes são cumpridas desde a sua produção, alterando a forma como os veículos são construídos.

Quanto à manutenção

Muitos veículos novos, dependendo da concessionária onde são adquiridos, já trazem a manutenção programada gratuita por um período de tempo ou quilometragem. Considere tal economia de custos na hora de calcular o preço final desembolsado nessa ocasião. No veículo usado, a manutenção fica a cargo do novo proprietário e, certamente, será bem mais frequente do que no carro novo.

Quanto ao preço do seguro

Da mesma forma que o financiamento, as taxas de seguro são afetadas pela idade e pelas condições do carro. Só que, neste caso, o carro usado tende a ser menos dispendioso.

A não ser que esteja em péssimas condições — fato que, inclusive, pode ensaiar a recusa da empresa seguradora em providenciar o contrato. O conforto e a praticidade de ter um automóvel na garagem serão os mesmos, qualquer que seja a sua escolha.

Carro novo ou usado? O que é melhor para você? Pense bem nas suas demandas pessoais, em seu poder de compra e faça uma boa escolha!